Use seus dados do Meu Rotary
    
  Lembrar     

Notícias   

   

Distrito 4420 e Rotary Club de Santos-Boqueirão entregam título Paul Harris à pacificadora Kay Pranis

08/11/2018


Distrito 4420

Presença da especialista internacional em Santos vai ao encontro do projeto de Subsídio Global que prevê a instalação de salas de “Justiça Restaurativa” nas escolas 
 
Por Marcelino Silva - Jornalista MTb 47010/SP. 
Fotos: Divulgação | Rotary Distrito 4420. 
 
Na manhã desta quinta-feira (8), no Tênis Clube de Santos, o Rotary Club de Santos-Boqueirão promoveu a palestra Justiça Restaurativa e Construção da Paz, ministrada por Kay Pranis, pesquisadora internacional. Além do ensino, prática e pesquisas sobre Justiça Restaurativa, ela é considerada uma notável autora de diversos livros do tema. Atuou como planejadora de Justiça Restaurativa para o Departamento Correcional de Minnesota (EUA), entre 1994 e 2003. Pranis resgata uma abordagem inovadora sobre a questão dos Processos Circulares como ferramenta da Justiça Restaurativa. Desde 1998, ela conduz treinamentos nas comunidades, escolas, presídios, empresas, igrejas e cidades rurais dos Estados Unidos. 
 
A professora ainda escreveu inúmeros artigos sobre o assunto, sendo autora de Processos Circulares, livro lançado pela Editora Palas Athena. Ao final da palestra, Carlos Torci, Governador do Distrito 4420 do Rotary International; e Maria de Graça Aulicino, Presidente do Boqueirão; homenagearam a palestrante com a entrega de um título Paul Harris, uma das principais honrarias concedidas pelo Rotary às pessoas que colaboram para a construção de um mundo melhor para se viver. “A palestra de hoje tem total relação com o projeto de Subsídio Global que aprovamos junto ao Rotary Club de Santos-Boqueirão. Já temos um parceiro no exterior, resta apenas alguns detalhes junto à Fundação Rotária”, revelou Torci. 
 
O projeto consiste na instalação de salas de “Justiça Restaurativa” na rede de ensino municipal da cidade de Santos/SP. Segundo o Governador, a vinda de uma especialista internacional a um clube de Rotary do Distrito 4420 permitiu alinhar suas atividades a uma das áreas de enfoque da instituição, que é a Paz e Resolução de Conflitos em âmbito mundial. “A palestra unificou este processo, permitindo que compartilhássemos essa novidade distrital com o público. Já temos uma sala piloto em funcionamento na Secretaria de Educação de Santos. Inspirado neste modelo, o Subsídio Global do Boqueirão vai permitir que as unidades escolares recebam o mesmo tipo de equipamento para fomentar a paz”. 
 
Além do fomento à paz, Torci explica que estes círculos de conversas e negociação nas escolas santistas servirão para tratar de outras temáticas como o bullyng infantil, por exemplo. O projeto prevê a criação de ambientes favoráveis para tratar do assunto com muito diálogo, amizade e companheirismo. “Neste caso, quando falamos em conflito, não estamos falando de guerra, mas das nossas relações humanas que precisam de melhoria no dia-a-dia, como a própria Kay Pranis enfatizou bem durante a palestra. Não me lembro de algum outro projeto deste tipo em âmbito distrital, focado em Paz e Resolução de Conflitos. O Rotary Club de Santos-Boqueirão está de parabéns pela iniciativa”, concluiu o Governador. 
 
O legado da palestra de Kay Pranis 
 
O fato de ter a professora como palestrante proporcionou uma oportunidade única às associadas do Rotary Club de Santos-Boqueirão. A presidente do clube enfatizou o privilegio deste momento. “Só temos que agradecer sua disponibilidade para discorrer sobre um assunto de relevância para o mundo, e que também é uma das áreas de enfoque do Rotary, que é a Paz e Resolução de Conflitos. Sua agenda no Brasil teve início em 15 de outubro com atividades em capitais como Vitória, Cuiabá, Belo Horizonte, Palmas e Rio de Janeiro. A cidade de Santos foi a única não-capital que foi visitada, onde ela ministra ainda hoje um workshop na Unisanta. Foi um presente tê-la conosco no meio desta acirrada agenda”. 
 
Para Maria da Graça, a vinda da especialista vai reforçar a importância do Subsídio Global do clube para a construção dos núcleos de paz nas escolas municipais. Segundo ela, estas unidades de ensino apresentam um elevado índice de conflitos, envolvendo alunos, professores e outras pessoas envolvidas no ambiente escolar. “Vamos trabalhar dentro dos princípios da Justiça Restaurativa, e não retributiva, fomentando a harmonização dos relacionamentos. A vinda dela no clube serviu para coroar um trabalho que já estamos desenvolvendo há um certo tempo. Isso também serve para trabalharmos a Imagem Pública de Rotary, mostrando que temos uma forte preocupação com a paz e a harmonia da humanidade”. 
 
Ela diz que no caso do Subsídio Global, o sucesso da aprovação, implementação e sustentabilidade do projeto depende do trabalho de todas as associadas, parceiros e voluntários do clube. “Para que essa engrenagem funcione em perfeitas condições, é necessária uma dedicação especial da nossa Comissão Interna da Fundação Rotária, responsável em desenhar, ajustar e finalizar todo o processo junto às esferas rotárias. É importante valorizar o trabalho desta comissão do nosso clube, presidida pela companheira Valéria França Garcia. O empenho e organização de sua equipe de trabalho vão culminar no sucesso deste e outros projetos do Rotary Club de Santos-Boqueirão”.  
 
Em formato de café da manhã, a palestra reuniu cerca de 70 pessoas. Segundo Maria da Graça, o nome da professora agregou muito interesse ao tema. Além das associadas do clube, o evento atraiu outros rotarianos e representantes da sociedade civil. “Com isso, mostramos um pouco do que fazemos em Rotary. Foi interessante que ela conseguiu associar a Prova Quádrupla do Rotary, que é a nossa máxima ideológica, aos princípios da Paz e da Justiça Restaurativa. Ela fez um link espetacular que nos fez refletir melhor sobre a própria Prova Quádrupla. Estes ensinamentos se apresentaram mais atuais do que nunca. Tudo isso fez desta reunião algo mais do que especial para todos nós”. 
 
Em Santos existe uma lei que criou a Justiça Restaurativa. Além do pioneirismo distrital, a legislação reforça a importância do projeto em prol da sociedade santista. “A prova disso é que tivemos a presença na palestra do Dr. Evandro Renato Pereira, juiz da infância, juventude e idoso de Santos. Ele trouxe à cidade os principais especialistas em Justiça Restaurativa para atuar localmente. Eles deram formação aos educadores e multiplicadores da comunidade para atuarem nos núcleos de construção da paz. Já temos vários facilitadores voluntários formados nesta metodologia. O nosso Subsídio Global vai construir os espaços para que estas equipes possam trabalhar, em parceria com o Judiciário e a Secretaria Municipal de Educação. Estamos felizes por isso e pela presença da Kay Pranis no clube”, encerrou. 
 
Sobre o título Paul Harris 
 
O reconhecimento “Companheiro Paul Harris” homenageia pessoas que contribuíram mais de US$ 1.000,00 à Fundação Rotária, ou que tiveram doações neste valor feitas em seu nome. O título foi criado em 1957 para demonstrar apreço e motivar contribuições substanciais ao programa hoje conhecido como Bolsas Educacionais. Entre os primeiros Companheiros Paul Harris estão Allison G. Brush, diretor do Rotary International em 1937-1938, e Rufus F. Chapin, ex-tesoureiro, cujas doações foram efetuadas em 1946. Adan Vargas foi a primeira mulher a receber o reconhecimento, por uma contribuição feita em 1953, e Harry L. Jones foi a segunda, além de ter sido uma das únicas cinco pessoas homenageadas em 1957. 

 

 Clique nas imagens para ver o álbum com todas as 60 fotos